Rolante implanta projeto de educação nutricional nas escolas municipais

A Secretaria de Educação e Esportes de Rolante, com a secretária Eunice Salim Silveira, está implantando um projeto de Educação Nutricional nas 11 escolas municipais de Ensino Fundamental e nas nove escolas de Educação Infantil, com base em dados coletados através de um trabalho realizado pelo setor de Alimentação Escolar, que fez uma avaliação nutricional com os estudantes, de maio a setembro de 2017.

A coleta dos dados da avaliação nutricional de 2017 mostrou que no Ensino Fundamental apresentam magreza acentuada três alunos, 327 alunos estão com sobrepeso, 182 alunos apresentam obesidade e com obesidade grave 86 alunos. Foram avaliados 1.586 estudantes com idade entre 6 e 16 anos.

Na educação infantil foram avaliadas 740 crianças entre 8 meses e 6 anos. Destas, cinco crianças apresentaram magreza acentuada, 86 sobrepeso, 29 obesidade e duas obesidade grave.

O objetivo do projeto é desenvolver temáticas de educação nutricional com alunos e pais da rede municipal de educação que, através desta avaliação nutricional, se enquadram nos grupos de risco de magreza acentuada, sobrepeso, obesidade e obesidade grave.

O projeto, desenvolvido pelo Setor de Alimentação Escolar, que tem a sua frente a coordenadora deste setor, Laina Fraga, sob a coordenação da nutricionista Stephania Pandolfo e da estagiária de nutrição Flávia Becker, desenvolverá dinâmicas com família e escola; trabalhará em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde; vai estimular hábitos alimentares saudáveis e vai explicitar os riscos de saúde desenvolvidos através da má alimentação.

Grupos de Risco:

Enquadram-se nos grupos de risco crianças e adolescentes que ao terem seus dados de peso, altura e/ou Índice de Massa Corporal (IMC) avaliados nas Curvas de Crescimento da Organização Mundial da Saúde (OMS), estão em risco de magreza extrema, sobrepeso, obesidade e obesidade grave.

Em crianças e adolescentes os riscos relacionados ao baixo peso podem ter  consequências como a desnutrição e desidratação, muitas vezes relacionadas à baixa autoestima e aos transtornos alimentares. Os transtornos alimentares ocorrem principalmente em adolescentes e são caracterizados por uma distorção da imagem corporal, que ocorre muitas vezes por influência dos pais, familiares, amigos e pela mídia.

Sobrepeso, obesidade e obesidade grave, são os principais fatores de preocupação mundial. Esses níveis crescem a cada ano e preocupam especialistas de saúde pública, já que a obesidade está cada vez mais crescente em crianças e adolescentes de todas as faixas etárias.

Os riscos relacionados a essa condição nutricional envolvem, além da questão estética, um aumento dos riscos de problemas relacionados à saúde como diabetes melittus, dislipidemias, hipertensão e doenças cardiovasculares.

Sempre que alimentação for maior que aquela que realmente precisamos e gastamos, as calorias excedentes se armazenam no corpo em forma de gordura sob o tecido adiposo e tudo o que ingerimos depende da sua quantidade e qualidade nutricional. A qualidade é decorrente de bons hábitos alimentares, com produtos in natura ou minimamente processados, a preferência por alimentos assados, e não fritos, os lanches calóricos e sem qualidade nutricional como salgadinhos, bolachas recheadas, balas etc, por frutas, dar preferência a alimentos integrais, e a saladas e vegetais na hora do almoço e janta, sempre em maior quantidade.

A" atividade de educação nutricional é de extrema importância na rede municipal de educação de Rolante, tendo em vista o grande número de alunos avaliados em 2017 que apresentaram riscos nutricionais. Pensando nisto, estamos desenvolvendo várias ações para que este projeto tenha êxito, envolvendo a direção de cada escola. Vamos marcar consulta com nutricionista para os alunos acompanhados dos pais, para mostrar o resultado da avaliação nutricional, conversar sobre a importância da alimentação saudável, e fazer um possível encaminhamento para um pediatra, através de uma parceria com a Secretaria de Saúde que auxiliará, também, fazendo um acompanhamento com estas famílias nas residências, através dos agentes comunitários de saúde. Temos muitas ações para colocar em prática, com o intuito de melhorar a saúde e a qualidade de vida dos nossos alunos", salienta a secretária de Educação e Esportes, Eunice Salim Silveira.

Compartilhar