Rolante mobiliza comunidade no Dia D sem Carro

O município de Rolante é conhecido por suas deliciosas cucas, por ser a Terra Natal do Teixeirinha, pelas belezas naturais, pelos vinhos e sucos da Boa Esperança, por seu povo solidário, hospitaleiro e trabalhador e por tantos outros aspectos positivos, mas quer, também, ser conhecido por ser uma cidade amiga do ciclista e, por que não, pela qualidade de vida da população?
Pensando nisto, a Câmara Técnica de Comércio e Serviços do DEL, com apoio da CT de Segurança, Prefeitura de Rolante, Associação dos Amigos do Circuito de Cascatas e Montanhas, Acisa e CDL lançou o desafio do Dia D sem Carro, nesta quinta-feira, 26.
Várias pessoas que não têm o hábito de ir trabalhar a pé ou de bike aderiram ao movimento. Uma delas foi o vice-prefeito de Rolante, Régis Zimmer (Geada), que, como de costume, chegou cedinho à Prefeitura. Deixou o carro em casa e veio pedalando.
Pedalar não é novidade para o vice-prefeito de Rolante, que, no último sábado, 21, recebeu o título de Dr. Bicicleta. A homenagem, feita pela Amicam, é uma forma de agradecimento pelo apoio que a entidade recebe da Administração Municipal, através da infra-estrutura e suporte técnico para colocar seus projetos em prática, como ocorreu com a inauguração do ponto de atendimento ao turista e apoio ao ciclista, inaugurado no dia 21 de abril, junto ao Posto krupp  Ipiranga.
"Pedalo sozinho ou com amigos sempre que posso. Gosto de pedalar no fim da tarde ou nos finais de semana. Faço roteiros curtos, de 15 a 20 quilômetros, pelo interior do município. Quando consigo manter um ritmo de pedalar com frequencia sinto mais disposição, sem falar que faz um bem enorme para as articulações, musculatura e para a saúde de um modo geral", comenta Zimmer.
O vice-prefeito já pensa em desenvolver um projeto, em parceria com a CT de Comércio e Serviços do DEL, para ampliar a quantidade de porta bicicletas tanto nos espaços públicos quanto no comércio. Para isto, precisaremos de uma parceria com a iniciativa privada. "No momento que dermos condições de as pessoas irem à maioria dos lugares de bicicleta, teremos menos problemas de falta de vagas para estacionar veículos e, com certeza, uma população mais saudável", frisa Zimmer.
E numa cidade onde nada é tão longe quanto parece, o Dia D é o início para uma saudável mudança de hábitos.